No passado dia 2 de junho, em Mareco, realizou-se a XV edição do designado “Caminho dos Galegos”, atividade marcante do Plano Anual do nosso Agrupamento.

Com o empenho de grande número de alunos, professores e funcionários, foi possível a concretização do evento, que voltou a atrair a participação de mais de 400 “peregrinos”, oriundos de vários pontos do país, num evento organizado pelo AEPC, em parceria com a Câmara Municipal de Penalva do Castelo e com as Freguesias limítrofes (União de Freguesias de Mareco e Vila Cova do Covelo, Freguesia de Castelo de Penalva e União de Freguesias de Tavares, no concelho de Mangualde), além da colaboração também valiosa de outras entidades como o Agrupamento de Escuteiros de Ínsua, os Bombeiros Voluntários locais e algumas empresas.

A concentração dos participantes ocorreu pelas 9h00, no largo principal de Mareco, onde decorreu uma pequena Feira. Após o acolhimento dos participantes e a Benção dos Peregrinos, deu-se início à caminhada, presenteada com a representação, por parte de alunos, pessoal docente e não docente, de alguns quadros históricos, como o Hospital do Caminho, os Guardas da Ponte (portagem), os Salteadores, os Bobos da Corte, os Trovadores e artistas com músicas melodiosas, o Almocreve, os Lutadores, as Cartomantes e a leitura do futuro, Jogos Medievais,...

A presente edição foi marcada pela introdução de um suplemento com cerca de 4 kms de extensão, que se juntou ao percurso inicial de 8 km e que, devidamente dotado de sinalética provisória, se traduziu numa incursão dos participantes até à capela de Santiago, em Vila Cova, onde se recriou um quadro histórico alusivo – um albergue de peregrinos, que acolheu e matou a sede aos peregrinos, tal era o calor que se fazia sentir.

A animação esteve a cargo de um grupo de alunos de Educação Musical e do grupo feminino convidado Girafoles, cujo instrumento principal é a gaita-de-foles.

A jornada proporcionou um são convívio entre os participantes, a salutar prática desportiva ao ar livre, bem como o contacto com o património material e imaterial local, tendo terminado com um delicioso porco no espeto, acompanhado de arroz de feijão,

Professor Francisco Guedes